quinta-feira, junho 29, 2006

A Warner não tem senso de humor...



Mas graças aos céus existe o famigerado site You Tube, onde pérolas como o piloto rejeitado da comédia Nobody's Watching pode ser visto na íntegra. A idéia partiu da cabeça do criador de Scrubs, Bil Lawrence e de dois roteiristas de Family Guy. É uma genial mistura de fake reality show com sitcom, mostrando como dois fãs de tv conseguiram seu próprio seriado na WB (the evil network).

Diferente da Fox que atura com bom humor as diversas alfinetadas de seus próprios programas, a WB parece não ter gostado do jeito que ela é mostrada no episódio. Ou seja, aqueles merdas não sabem rir de si mesmos porque provavelmente a carapuça lhes serve. Por isso o show foi rejeitado. Mas nada tema, com a Internet não há problema. Cliquem nos links abaixo (já que o piloto foi divido em três partes) e chorem de rir com essa fantástica idéia, vinda de mentes que já nos trouxeram tanta coisa boa.

Nobody's Watching pilot 01
Nobody's Watching pilot 02
Nobody's Watching pilot 03

E rezem para que os executivos da WB engasguem no próprio vômito e morram de uma vez.
T+

quarta-feira, junho 28, 2006

Quando o filme é uma catástrofe mesmo...



Pois é, eu sei que eu estava avisado, mas fui para ver se o navio digital era bom mesmo... e era. Mas pára por aí. Podem falar mal o que for de Roland Emmerich, mas até Godzilla conseguia ter mais conteúdo e drama humano do que esta refilmagem do crássico O Destino de Poseidon (quando eu era pequeno achava que o título se referia a um filme no estilo do Fúria de Titãs... hehehehe!).

Tipo assim, dez minutos para a apresentações dos personagens principais, cada um com uma história para contar, ou pelo menos é o que o roteiro nos leva crer. Depois disso, a merda acontece e a partir daí o grupo decide achar uma saída do navio, tombado de cabeça para baixo por uma onda gigante. E fica nisso. Sem desenvolvimento de personagens, sem troca de confidencias, sem revelações sobre um passado dramático, apenas uma sucessão de situações perigosas que mais parecem saídas de um game pra PS2. Hmmmm! Talvez jogando fosse mais divertido.

Tão chato e vazio quanto Mar em Fúria (ou como eu costumo chamar Tá nervoso? Vai pescar). Não é toa que o diretor é o mesmo. O cara gosta de virar barcos.

Aliás, mais uma reclamação. O que faz mais sentido para vocês? Temos um blockbuster de efeitos especiais e temos uma comédia romântica. Qual desses dois filmes deveria estar passando na sala digital, equipada com uma maior definição de som e imagem? A primeira opção, certo? Hum! aparentemente o orangotango que come a própria merda e que nas horas vagas faz a grade de horários do UCI, discorda.

T+
Nerds... GOZAI-VOS!

FOOOOODA!

Só falando assim para anunciar o primeiro teaser do terceiro filme do amigão da vizinhança, dessa vez em black. E sim, para os que estava na dúvida... Harry Osborn como novo Duende Verde... hahahahahaha! Cliquem na figura e assistam, porra!

T+

sexta-feira, junho 23, 2006

Acabou minha vida social...



Comprei um Playstation 2... eu sei... antes tarde do que nunca. Não estou mais antenado em games como eu era na época do Mega Drive e SNES, por isso irei correr atrás do preju. A garotada hoje em dia... e os mais nerds... falam de coisas que me fazem me sentir um idoso.

Bem, dentre as gracinhas que eu ando viciado estão God of War (game fodão da Sony), Winning Eleven (simulador perfeito de uma partida de futebol... e com narração do Galvão Bueno... até em game pirateado ele fala merda), e por último, o mais foda, Black, um joguinho de de tiro em primeira pessoa que te coloca na pele de um soldado black ops revivendo suas missões enquanto é interrogado por seus superiores. Os gráficos deste jogo são foooooodas. Não só isso, mas também o som, jogabilidade e nível de realismo (só falta mesmo o cheirinho de pólvora). A música no jogo é produzida por Michael Giacchino, compositor por trás das trilhas de Lost, Os Incríveis, Missão Impossível 3, etc. Cliquem na figura abaixo para um videozinho legal, fácil de carregar lá no You Tube.

Black screenshot

Não se espantem se, além de filmes, eu começar a falar de jogos por aqui também, afinal as duas mídias andam no mesmo nível de qualidade. Jogar videogames pra mim é como andar de bicicleta, eu só tinha que me lembrar... e me acostumar com mais botões do que meu cérebro consegue assimilar.

Tudo bem que não é nenhum PS3 ou XBOX 360, mas ninguém tá cagando dinheiro assim.
T+

terça-feira, junho 20, 2006

Propaganda eleitoral gratuita para amigo meu...

Márcio Takara

O desenho acima é de um colega lá do curso da Impacto, o Márcio Takara, que manda bem pacas, tanto no traço normal, quanto no mais estilizado, que é justamente o que eu gosto. Foi por causa deste estilo que a atenção da Marvel foi chamada e agora ele está ocupado com um número especial de Quarteto Fantástico... Congratulations, dude! Cliquem na figura para acessar seu site. Tava devendo um link aqui no blog. Foi mal!

Preciso tomar vergonha e ser o próximo na lista.

T+

segunda-feira, junho 19, 2006

Lady Croft...

Lady Croft

Ainda seguindo o estilo cartoon e completamente inspirado pelo tio Bruce Timm. Cliquem na figura para ampliar e aqui para ver outra.

T+

sábado, junho 17, 2006

Pixar voando baixo...



Carros é foda! Bem, agora que eu quebrei o gelo, vamos analizar este que é o filme comemorativo dos 20 anos da melhor casa de animação do planeta, a Pixar, em seu sétimo longa.

Carros tem direção de John Lasseter (diretor de Toy Story e o cara com o trabalho mais legal do planeta... diretor de criação da Pixar/Disney) e conta a história de Lightining McQueen (Owen Wilson), um carro de corrida campeão que acaba preso numa cidadezinha no meio do deserto ao lado da Rota 66, a estrada mais cultuada do planeta. Cliquem aqui para ver os outros nomes maravilhosos que emprestam suas vozes aos personagens, que incluem George Carlin, Paul Newman, Larry The Cable Guy, Tony Shalhoub, Michael Keaton e tantos outros.



Bem, vamos começar com o forte da Pixar, o roteiro. Segura bem os 116 minutos de projeção (por um minuto a mais, o filme mais longo da empresa), com talvez um ou outro momento mais arrastado. Eu arrisco colocar Carros no patamar de pérolas como Monstros SA e Procurando Nemo, mas Os Incríveis ainda é melhor de longe, mesmo porque bate com meu gosto pessoal. E afinal de contas, Brad Bird é uma espécie de deus da animação. Mas tudo bem... o tio Lasseter é um profeta.



Do ponto de vista técnico, se iguala a Os Incríveis em termos de animação e textura. Mas claro que diferenciam, pois ambos os filmes traziam desafios. Se no longa da super-família o negócio era acertar a mão na animação de personagens humanos, com simulações complicadas de roupa e cabelo, em Carros o negócio é dar vida a objetos inanimados como veículos, e reproduzir com uma fidelidade absurda cenas de uma corrida de Nascar. Sem contar nos belíssimos cenários e texturas, mostrando o quanto a técnica evoluiu desde 1995, quando Toy Story foi lançado e já nos assombrou com suas possibilidades.



Ah! É claro! Como sempre a Pixar nos presenteia com um curta. One Man Band é maravilhoso, mostrando o duelo de dois músicos de rua pela atenção de uma garotinha, ambos de olho grande na moeda que ela segura. Engraçadíssimo, extremamente bem feito e animado, com um belíssimo design de produção. Fica aqui como um dos melhores curtas do estúdio. Se algum cinema daqui não exibir, pode levantar da cadeira, pegar um pedaço de madeira e enfiar a porrada no gerente.

Bem, é isso. Divirtam-se na estréia. Eu assistirei de novo.


Que do nada...

Bad trip

Morre Bussunda de ataque cardiárco fulminante na Alemanha. Mas, héin? O cara espera emagrecer pra ter essas coisas? Tudo bem que Casseta & Planeta não andava mais o mesmo, mas ainda assim a perda será sentida. Por que não empacota uma aquelas múmias do Porra Total? Cliquem na figura para ler os detalhes.

T+

quinta-feira, junho 15, 2006

Run, Jane... RUN!

Jane cartooning!!!

Pondo na prática o que estou apredendo com o livro do tio Caldwell. Cliquem na figura para ampliar e aqui para verem outro desenho.

T+

quarta-feira, junho 14, 2006

A comédia é bela...



Você provavelmente já conhece essa moça de séries e filmes, mas aposto que nunca viu Sarah Silverman como stand up comedian. Por trás dessa carinha de anjo se esconde uma das línguas mais afiadas do show business. A garota só fala meeeeeeeeeeeeeeerda. É muito engraçada e ainda canta bem. Quem puder, pega o filme mais recente dela, o Jesus is Magic, que conta com uma apresentação e alguns quadros humorísticos.


E falando em dar risada...



Novo especial na HBO de Lewis Black, entitulado Red, White and Screwed. Na minha opinião, um dos melhores shows do cara. Com seu jeito mau-humorado e seus famosos ataques de pelanca quando fala da política mundial, o tio Black se tornou um dos meus comediantes favoritos. O cara é foda!

Stand up comic forever!
T+

terça-feira, junho 13, 2006

Chegou hoje aqui em casa...

Ben Caldwell is the MAN!

Livrinho que ensina os passos para estilizar e cartunizar o seu desenho. Recomendado para aqueles que já são bons no desenho clássico, porque é o ideal é conhecer bem a regra antes de quebrá-la. Excelente para a galera de animação. Escrito e ilustrado por Ben Caldwell, desenhista com um estilo fodão. Visitem o site dele e babem.

Cliquem na figura para acessar o site do Submarino. O preço está bem acessível para um importado: apenas R$ 38,27.

Daqui a algumas semanas deve chegar por aqui também The Art of the Incredibles... YEAAAAAHHHHHHHHH, BABY!!!!!

T+

segunda-feira, junho 12, 2006

Novo rabisco...

Yoko Tsune

Personagem de um álbum europeu que eu tenho aqui. Cliquem na figura para ampliar.
T+

quinta-feira, junho 08, 2006

Jane... ohhhhh, Jane!

Jane Nebula

Jane Nebula é uma personagem muito legal de se desenhar. Aí nego pergunta: Queeeeeeeeeeem? É minha personagem, porra!

Cliquem na figura para ampliar.
T+

quarta-feira, junho 07, 2006

segunda-feira, junho 05, 2006

Mais ou menos como eu ando me sentindo...

Non Sequitur

Criatividade para desenhar e escrever em baixa. I need pussy! Cliquem na tirinha para mais de Non Sequitur.


Steve Carell is the man...



Acabei de assistir The 40 Years Old Virgin (O Virgem de 40 Anos... duh!), só pra constatar que Steve Carell é o cara. O sujeito é naturalmente engraçado, bom ator e carismático. Toda comédia em que dá as caras, rouba a cena, nem que seja por poucos minutos como em Bruce Almighty (Todo Poderoso), na hora em que Bruce (Jim Carrey) o faz errar suas falas no noticiário, ou como em Anchorman: The Legend of Ron Burgundy (O Âncora), interpretando o simpático, porém retardado Brick. E não foge a essa regra mesmo apenas com sua voz, dando vida ao esquilo alucinado Hammy, em Over the Hedge (Os Sem-Floresta... tradução cretina), de longe o melhor personagem.

Agora, tirou o lugar do tio Carrey na continuação de Todo Poderoso, e por causa disso até o nome mudou para Evan Almighty, onde Deus (Morgan Freeman) o incube com a tarefa de construir uma arca para um novo dilúvio. Dá uma sacada no sujeito já caracterizado.

Tio Carell rulessss!
T+

sábado, junho 03, 2006

E mais do mesmo...

TEXTO

Ainda na minha interminável saga para melhorar meu desenho de rosto e variando o estilo. Dessa vez as inspirações vieram do mestre Enrico Marini, desenhista de Rapaces. Cliquem na figura para ampliar.

T+